(...)

A memória é um desenho na água
e nas suas ondas revela-se o cadáver do tempo.


Farás esse desenho.


E de súbito
terás a sombra morta
do tempo junto de ti.
felipe benitez reys