.

A cidade está deserta, e alguém escreveu o teu nome em toda a parte:
Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas.
Em todo o lado essa palavra,
Repetida ao expoente da loucura, ora amarga, ora doce.
Pra nos lembrar que o amor é uma doença, quando nele julgamos ver a nossa cura.